CARTÃO

amigos 3

CARTÃO

CARTÃO

AMIGOS3

Google+ Badge

terça-feira, 18 de abril de 2017

EVANGELHO DIÁRIO ARAUTOS DO EVANGELHO


Terça-feira, 18 de Abril de 2017.
Santo do dia: Beato José Moreau, presbítero e mártir
Cor litúrgica: branco
Evangelho do dia: São João 20, 11-18
Primeira leitura: Atos dos Apóstolos 2, 36-41
Leitura dos Atos dos Apóstolos:
No dia de Pentecostes, Pedro disse aos judeus: 36Que todo o povo de Israel reconheça com plena certeza: Deus constituiu Senhor e Cristo a este Jesus que vós crucificastes.' 37Quando ouviram isso, eles ficaram com o coração aflito, e perguntaram a Pedro e aos outros apóstolos: 'Irmãos, o que devemos fazer?' 38Pedro respondeu: 'Convertei-vos e cada um de vós seja batizado em nome de Jesus Cristo, para o perdão dos vossos pecados. E vós recebereis o dom do Espírito Santo. 39Pois a promessa é para vós e vossos filhos, e para todos aqueles que estão longe, todos aqueles que o Senhor nosso Deus chamar para si.' 40Com muitas outras palavras, Pedro lhes dava testemunho, e os exortava, dizendo: 'Salvai-vos dessa gente corrompida!' 41Os que aceitaram as palavras de Pedro receberam o batismo. Naquele dia, mais ou menos três mil pessoas, se uniram a eles.
- Palavra do Senhor
- Graças a Deus
Salmo 32 (33)
- Reta é a palavra do Senhor, e tudo o que ele faz merece fé. Deus ama o direito e a justiça, transborda em toda a terra a sua graça.
R: Transborda em toda a terra a bondade do Senhor.
- Mas o Senhor pousa o olhar sobre os que o temem, e que confiam esperando em seu amor, para da morte libertar as suas vidas e alimentá-los quando é tempo de penúria.
R: Transborda em toda a terra a bondade do Senhor.
- No Senhor nós esperamos confiantes, porque ele é nosso auxílio e proteção! Sobre nós venha, Senhor, a vossa graça, da mesma forma que em vós nós esperamos!
R: Transborda em toda a terra a bondade do Senhor.
Evangelho de Jesus Cristo segundo São João 20,11-18
- Aleluia, aleluia, aleluia.
- Este é o dia que o Senhor fez para nós, alegremo-nos e nele exultemos! (Sl 117,24):
Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo São João:
Naquele tempo: 11Maria estava do lado de fora do túmulo, chorando. Enquanto chorava, inclinou-se e olhou para dentro do túmulo. 12Viu, então, dois anjos vestidos de branco, sentados onde tinha sido posto o corpo de Jesus, um à cabeceira e outro aos pés. 13Os anjos perguntaram: 'Mulher, por que choras?' Ela respondeu: 'Levaram o meu Senhor e não sei onde o colocaram'. 14Tendo dito isto, Maria voltou-se para trás e viu Jesus, de pé. Mas não sabia que era Jesus. 15Jesus perguntou-lhe: 'Mulher, por que choras? A quem procuras?' Pensando que era o jardineiro, Maria disse: 'Senhor, se foste tu que o levaste dize-me onde o colocaste, e eu o irei buscar'. 16Então Jesus disse: 'Maria!' Ela voltou-se e exclamou, em hebraico: 'Rabuni' (que quer dizer: Mestre). 17Jesus disse: 'Não me segures. Ainda não subi para junto do Pai. Mas vai dizer aos meus irmãos: subo para junto do meu Pai e vosso Pai, meu Deus e vosso Deus'. 18Então Maria Madalena foi anunciar aos discípulos: 'Eu vi o Senhor!', e contou o que Jesus lhe tinha dito.
- Palavra da Salvação
- Glória a Vós, Senhor
Comentário do dia por Santo Anselmo (1033-1109)
Monge, Bispo, Doutor da Igreja
74.ª oração; PL 158, 1010-1012

«Porque choras?»
«Mulher, porque choras?» Bem-amado Senhor, como podes perguntar porque chora ela? Não é verdade que Te viu cruelmente imolado, atravessado por pregos, suspenso do madeiro como um salteador, entregue às zombarias dos ímpios? Como podes dizer-lhe: «Mulher, porque choras?» Ela não conseguiu arrancar-Te à morte, mas queria ao menos embalsamar o teu corpo, para o preservar da corrupção o máximo de tempo possível. [...] E eis que, para cúmulo, julga ter perdido esse corpo que tinha ainda a alegria de possuir. Com essa perda, toda a esperança se esfumou para ela, se nada pode guardar em memória de Ti. Como podes perguntar-lhe, nesse preciso momento: «Mulher, porque choras? Quem procuras?»
Ó bom Senhor, vê que é a tua discípula fiel, resgatada pelo teu sangue, que está atormentada pelo desejo de Te ver. Vais permitir que tal sofrimento dure muito tempo? Agora que escapaste à corrupção, perdeste toda a compaixão? Agora que atingiste a imortalidade, esqueceste a misericórdia? Não, a tua doce bondade, Amigo, leva-Te a intervir sem tardar, para que aquela que chora o seu Senhor não ceda à amargura do coração.
«Maria!» Ó Senhor, tu chamaste a tua serva pelo seu nome de família e ela reconheceu imediatamente a voz familiar do seu Senhor. «Maria!» Palavra tão doce, tão transbordante de ternura e de amor! Ser-Te-ia impossível, Mestre, dizê-lo de forma mais breve e mais forte: «Maria! Sei quem tu és. Sei o que queres. Eis-Me aqui! Não chores mais. Eis-Me aqui, Aquele que procuras.» Imediatamente as lágrimas mudam de natureza; pois como poderiam ser estancadas, quando agora brotam de um coração em festa?