AMIGOS3

CARTÃO

SEGUIDORES

Google+ Badge

MENSAGENS

Bom dia amigas(os)!! 

A vida está cheia de oportunidades, só precisamos saber colher as nossas. Por isso, aqui falo sobre abrir uma porta. 

Boa leitura...

Às vezes sentimos que quando algo termina, o mundo cai sobre as nossas cabeças de forma precipitada. Contudo, existe outra forma de encarar isto, e é que talvez estejamos sendo abençoados com a dádiva de uma nova possibilidade de começar outra aventura excitante.

Proponho a vocês um exercício de reflexão. Nos próximos minutos, vamos nos perguntar por que as portas se fecham, que experiência e sabedoria cada uma delas nos deixa e como podemos aproveitar estes conhecimentos para abrir novos mundos cheios de oportunidades.

“Não seja como a maioria que morre esperando a sua oportunidade e passa a vida dizendo: acontece que a minha não chegou.” -Héctor Tassinari

Por que uma porta se fecha?

Você já pensou alguma vez em por que uma porta se fecha? Não se esqueça de que estamos falando em sentido figurado. Uma porta física pode ser fechada por um empurrão, pelo vento, por acionar a fechadura, por distração… existem muitas possibilidades.

Agora vamos extrapolar um fechamento de portas para a vida humana. Por que se fecham ou as fechamos? Existem muitos motivos nos quais podemos pensar, situados em dezenas de possíveis cenários. Vejamos alguns:

•Um relacionamento amoroso que acaba. Você pode pensar que quando já não existe mais nada pelo que lutar em um relacionamento, você fecha a porta, já que onde anteriormente houve chamas e um fogo poderoso, já não restam nem sequer brasas ou cinzas.
•Uma amizade que acaba. Às vezes um bom amigo pode nos trair tanto que somos incapazes de perdoá-lo. Fechamos a porta para evitar que continue nos machucando e acabamos com um relacionamento para nos afastarmos da dor.
•Um trabalho que acaba. Muitas vezes, em trabalhos onde não estamos felizes ou porque surgem novas oportunidades de negócio, decidimos abandonar e procurar outros caminhos profissionais. Às vezes são decisões dolorosas e difíceis de tomar.

O que acontece ao fechar uma porta?

Na maioria das vezes, fechar uma porta supõe uma dor enorme. Se você tem que abandonar o seu companheiro porque já não existe nada do que houve antes, acabar o seu relacionamento de amizade com alguém, deixar um trabalho no qual você foi feliz, ir embora da cidade onde você mora… tudo isso pode provocar um grande sentimento de tristeza.

Muito bem, agora pensemos nas circunstâncias que nos levaram a fechar estas portas. Por que chegamos a este ponto? O que aconteceu para que eu tenha que deixar o meu companheiro ir embora, uma pessoa que um dia foi o centro da minha vida? Por que tenho que ir embora da cidade onde sou feliz?

Reflita bem e sem pressa sobre as decisões que você tomou e por que chegou até esta situação. Não comece a julgar os outros sobre tudo que está lhe acontecendo, mas encontre também a sua parte de responsabilidade, porque sempre existe alguma coisa que talvez você pudesse ter feito melhor ou que deveria ter dito antes. Ou talvez não, mas é importante que você tenha isto bem claro, que você analise e aprenda.

Novas portas se abrem

Agora, uma vez que fechamos a porta e refletimos sobre os fatos que nos levaram a esta situação, chega o momento de descobrir novas oportunidades e desfrutar do mundo que se abre diante de nós. Abrace-o com todas as suas forças, porque ainda há muito por fazer.

“Um problema é uma oportunidade para você fazer o seu melhor esforço.”
-Duke Ellington-

Você passou por uma má experiência tendo que fechar a porta para alguém ou 
algo que você amava, que lhe importava ou que lhe importunava. Já refletiu e aprendeu duras, mas sábias lições após o acontecido. Agora, com essa nova experiência adquirida, você precisa olhar para o futuro com otimismo e descobrir as novas oportunidades que se abrem diante dos seus olhos.

Você tem mais experiência e sabedoria. Use-as para aprender com as jogadas erradas e evite repeti-las. Aprenda com os momentos em que você trabalhou no caminho certo e reforce seus comportamentos em futuras experiências. Aproveite todas as oportunidades que a vida lhe oferece.

Nada termina. Tanto se você abandona uma pessoa querida como se você perde um grande amor, a sua vida não acaba. Ainda há muito por fazer, um grande número de portas para abrir, aventuras das quais desfrutar, gente para conhecer, trabalhos para começar, cidades para visitar.

Fonte: a mente é maravilhosa




O MUNDO COLOCA TUDO NO SEU LUGAR
Boa tarde amigas(os)!!

Nós já ouvimos centenas de vezes que “o tempo coloca tudo no seu devido lugar”, mas será que é isso mesmo?

Reflitam...

Desejamos que isso realmente aconteça, que a vida se encarregue de punir aquelas pessoas que causam sofrimentos e que nos recompense pelas nossas boas ações.

No entanto, não podemos dizer que isto é falso ou verdadeiro, porque os projetos do destino estão além da nossa compreensão. O que acontece na verdade é que esse ditado é mal compreendido.

Não somos justiceiros e não podemos esperar que as coisas aconteçam por inspiração divina. Na realidade, não vamos sofrer as consequências dos nossos atos, mas não podemos evitar que nossas ações identifiquem a nossa história de vida. A vida nos oferece a oportunidade de refletir, corrigir os erros e seguir em frente.

Eu me pergunto se eu mudei à noite. Deixe-me pensar: eu era a mesma pessoa quando me levantei hoje de manhã? Acho que estava um pouco diferente. Mas se não sou a mesma, quem sou eu? Ah, esse é o grande enigma”!

– Alice no País das Maravilhas

Se existisse olho por olho, o mundo estaria cego

A vida segue seu rumo, embora nem sempre seja da forma que desejamos ou esperamos. O tempo não tem pressa; é um juiz sábio que não julga imediatamente.

Quando não gostamos de alguma coisa ou sofremos alguma injustiça, recorremos à ideia do “destino como justiceiro“. No entanto, isso é só uma maneira de fechar os olhos, para não ver o que não podemos controlar.

Esse tipo de comportamento nos tranquiliza e acreditamos que nossa felicidade não corre perigo. Digamos que acreditar em um mundo justo é uma espécie de autoengano que nos leva a ignorar tudo o que nos incomoda.

Em todo caso, existem pessoas maldosas que gostaríamos que recebessem o castigo que merecem, por isso fantasiamos essa ideia de que o mundo é justo.

Precisamos e gostamos de acreditar nisso para vivermos com tranquilidade. Nossa mente precisa acreditar que podemos controlar tudo, mas na verdade só podemos controlar uma pequena parte das nossas experiências.

Não podemos esperar que coisas boas aconteçam se não agirmos nesse sentido. O que é realmente eficaz é “suar a camisa”, para ter chances de ganhar uma concorrência. Mas, mesmo assim não temos a garantia de nada, nem mesmo sorte.

O que fiz para merecer isto?

Muitas vezes não é justo o que acontece conosco, mas essa ideia de igualdade só existe na nossa mente. Isso não é ruim, na medida em que nos ajuda a nos proteger e a organizar nosso mundo interno.

Seria muito difícil viver sem medo, sem pensar nas desgraças que podem acontecer e sem enfrentar dificuldades. O importante é enfrentar e trabalhar contra as injustiças, em vez de adotar uma postura passiva como é a nossa característica.

Precisamos evitar cair na armadilha da vitimização e das queixas; e plantar as sementes que nos permitam equilibrar as forças, da mesma forma que um atleta treina todos os dias para ter uma chance de ganhar a competição.

Ser uma boa pessoa não é garantia de que só aconteçam coisas maravilhosas, assim como ser mau não trará somente desgraças para sua vida. O importante é tentar melhorar a cada dia e se preocupar com o que fazemos com a nossa vida e com a dos demais.

O tempo não tem tudo em suas mãos, nós somos os responsáveis por deixá-lo atuar e organizar o nosso destino. Lembre-se de que as pessoas mais felizes não têm sempre o melhor de tudo, mas sempre veem o lado bom de tudo o que lhes acontece.

Por: Raquel Brito




A Cor da Saudade

Era uma vez uma menina que tinha um pássaro encantado.
Ele era encantado por duas razões: não vivia em gaiolas, vivia solto e vinha quando queria, quando sentia saudades...

Sempre que voltava, suas penas tinham cores diferentes, as cores dos lugares por onde tinha voado.
Certa vez, voltou com penas imaculadamente brancas e contou histórias de montanhas cobertas de neve.
Outra vez, suas penas estavam vermelhas e contou histórias de desertos incendiados pelo sol.
Era grande a felicidade quando eles estavam juntos.

Mas, sempre chegava a hora do pássaro partir...
A menina chorava e implorava:
- Por favor, não vá. Terei saudades, vou chorar.
- Eu também terei saudades - dizia o pássaro - mas vou lhe contar um segredo! Eu só sou encantado por causa da saudade. É ela que faz com que minhas penas fiquem bonitas... senão você deixará de me amar.

E partiu.
A menina, sozinha, chorava.
Uma certa noite ela teve uma ideia: e se o pássaro não partir? Seremos felizes para sempre! Para ele ficar, basta que eu o prenda numa gaiola.
E assim o fez.

A menina comprou uma gaiola de prata, a mais linda que encontrou.
Quando o pássaro voltou, eles se abraçaram, ele contou histórias e adormeceu.
A menina aproveitou o seu sono e o engaiolou.

Quando o pássaro acordou deu um grito de dor.
- Ah ! O que você fez? Quebrou o encanto. Minhas penas ficarão feias e eu me esquecerei das histórias. Sem a saudade, o amor irá embora...
A menina não acreditou... achou que ele se acostumaria.

Mas, não foi isso o que aconteceu. Caíram as plumas e as penas transformaram-se em um cinzento triste.
Não era mais aquele o pássaro que ela tanto amava...
Até que ela não aguentou mais e abriu a porta da gaiola.
- Pode ir, pássaro - disse - volte quando você quiser...
- Obrigado - disse o pássaro - irei e voltarei quando ficar encantado de novo. Você sabe, ficarei encantado de novo quando a saudade voltar dentro de mim e dentro de você.

Quantas vezes aprisionamos a quem amamos, pensando que estamos fazendo o melhor?
Pense... deixar livre é uma forma singela de ter...

Direcione o seu amor não para a prisão e sim para a conquista, sempre.







A parábola da rosa

Um certo homem plantou uma rosa e passou a regá-la constantemente e, antes que ela desabrochasse, ele a examinou. Ele viu o botão que em breve desabrocharia, mas notou espinhos sobre o talo e pensou: "Como pode uma bela flor vir de uma planta rodeada de espinhos tão afiados?"

Entristecido por este pensamento, ele se recusou a regar a rosa, e, antes que estivesse pronta para desabrochar, ela morreu.

Assim é com muitas pessoas. Dentro de cada alma há uma rosa: as qualidades dadas por Deus e plantadas em nós crescendo em meio aos espinhos de nossas faltas. Muitos de nós olhamos para nós mesmos e vemos apenas os espinhos, os defeitos.

Nós nos desesperamos, achando que nada de bom pode vir de nosso interior. Nós nos recusamos a regar o bem dentro de nós, e, consequentemente, isso morre.

Nós nunca percebemos o nosso potencial. Algumas pessoas não veem a rosa dentro delas mesmas; Alguém mais deve mostrá-la a elas.

Um dos maiores dons que uma pessoa pode possuir ou compartilhar é ser capaz de passar pelos espinhos e encontrar a rosa dentro de outras pessoas. Esta é a característica do amor -- olhar uma pessoa e conhecer suas verdadeiras faltas.

Aceitar aquela pessoa em sua vida, enquanto reconhece a beleza em sua alma e ajuda-a a perceber que ela pode superar suas aparentes imperfeições.

Se nós mostrarmos a essas pessoas a rosa, Elas superarão seus próprios espinhos. Só assim elas poderão desabrochar muitas e muitas vezes.





A Quem Pertence

Perto de Tóquio vivia um grande samurai, já idoso que se dedicava a ensinar zen aos jovens.

Apesar da sua idade, corria a lenda de que ainda era capaz de derrotar qualquer adversário.

Certa tarde, um guerreiro conhecido por sua total falta de escrúpulos apareceu por ali.

Queria derrotar o samurai e aumentar a sua fama.

O velho aceitou o desafio e o jovem começou a insultá-lo.

Chutou algumas pedras em sua direção, cuspiu em seu rosto, gritou insultos, ofendeu seus ancestrais.

Durante horas fez tudo para provocá-lo, mas o velho permaneceu impassível.

No final da tarde, sentindo-se já exausto e humilhado, o impetuoso guerreiro retirou-se.

Desapontados, os alunos perguntaram ao mestre como ele pudera suportar tanta indignidade.

- Se alguém chega até você com um presente, e você não o aceita, a quem pertence o presente?

- A quem tentou entregá-lo, - respondeu um dos discípulos.

- O mesmo vale para a inveja, a raiva e os insultos. Quando não são aceites, continuam pertencendo a quem os carregava consigo.

A sua paz interior depende exclusivamente de você.

As pessoas não podem lhe tirar a calma.

Só se você PERMITIR!







A cor
Porque a lágrima não tem cor? 
Enquanto chorava, me pus a pensar. 
Se fosse vermelha como sangue, 
As minhas vestes poderiam manchar. 
 da lágrima
Se a lágrima fosse amarela, 
A cor da alegria, 
Expressar tristeza 
Jamais poderia 

Se fosse azul, 
A cor da serenidade, 
Eu não choraria jamais. 
Seria só tranquilidade. 

Se fosse branca, 
Como pétalas de rosas, 
Não seriam lágrimas... 
Mas pérolas preciosas. 

Ainda mais uma vez 
Fiquei me questionando... 
Porque a lágrima não tem cor? 

Se ela fosse preta 
Só expressaria o horror? 

Porque será que a lágrima não tem cor? 
A lágrima não tem cor... 
Porque nem sempre exprime dor. 

E se ela fosse roxa, como poderia 
Expressar a alegria? 

As lágrimas não têm cor 
Porque são expressões da alma 
Quando o espírito está chorando 
O coração diz: tenha calma! 

Se a lágrima tivesse cor 
Deveria ter a cor do amor 
Ou mesmo a cor da paixão 
Que as vezes invade o coração. 

Ou talvez a cor da tristeza 
Que abala a alma e tira a calma 
Mas faz em meu ser uma limpeza. 
Se a lágrima tivesse cor 
Poderia ser vermelha como o sangue. 

A lágrima não tem cor. 
Porque ela nos aproxima do nosso Criador. 
Se a lágrima tivesse cor 
Eu só iria chorar de alegria. 
Mas, e a lágrima da saudade? 
De que cor ela seria? 

E a lágrima da decepção, 
De que cor seria então? 
Se a lágrima tivesse cor 
Deveria ter a cor de um brilhante 
Como a lágrima é preciosa 
Deus deu-lhe a cor do diamante.



Postar um comentário